Dieta Mental

dieta mental thais faleiros yoga

Eu não vou mentir para vocês.

Esses dias que passaram foram dias pesados, acredito pela situação política e tudo o que ela tem gerado em nosso pais, porém não quero focar a minha reflexão neste tema e busco não colocar em pauta isso nem com amigos para não criar conflitos.

Eu tenho me encontrado buscando repetidamente integrar, ajudar, levantar a mim mesma e os outros que se sentem como se uma nuvem de escuridão os tivessem paralisado ou os tornassem como que perdidos. Agora … Que eu não sei se todos os meus alunos e seguidores sentem assim, eu sei que, no fundo, Yoga não é política (e, francamente, eu não sou). Apesar de que assim como uma prática de Yoga que não leva em consideração as conseqüências de nossas ações na sociedade seria, incompleta, irresponsável e alienada.
Eu sei que meu papel é o de olhar para os lugares e espaços onde podemos ver uns aos outros como iguais – irmãos de alma – e onde podemos procurar entender um ao outro em primeiro lugar – e é profundo e inequívoco saber que este é o lugar e espaço a partir do qual crescemos e curamos uns aos outros.

Eu sei que não estou sozinha quando digo que eu ensino o que eu quero para nos tornarmos mais humanos, mais sensíveis, mais próximos e unidos. Minha pratica, pujas, minhas orações, minhas aulas, meus retiros e encontros são uma bênção para mim desta maneira. (veja próximo encontro que acontece essa: http://thaisfaleirosyoga.com.br/event/paraty-yoga-festival/)

Estes são lugares onde eu “sou”, onde eu posso proporcionar oportunidades de ouro a mim mesma e compartilhar o “mel” que me foi dado. O “mel” de perspectiva, confiança e verdade – não importa o quão difícil é. Eu confesso que tenho uma tendência para buscar o “amor divino”, uma tendência a chamá-lo para fora. Para mim e para os outros. Como ele é. Eu tenho uma tendência a fazer as perguntas difíceis, a trazer questionamentos…E sim, eu tenho a tendência em tocar o dedo nas feridas, gentilmente, e dizer: “Dói … aqui?” Porque eu sei que dói. Todos nós machucamos às vezes … e, eu descobri que quando reconhecemos que estamos feridos, e que somos fortes o suficiente para reivindicar a nossa dor e nosso potencial, podemos então VER que somos LIVRES.

Sabe o que mais eu descobri ?

Que o sofrimento é opcional mas a dor muitas vezes é inevitável.

Quando estamos nos sentindo perturbados, tristes nunca devemos atribuir isso aos outros, mas a nós mesmos, aos nossos próprios princípios e opniões. Temos portanto que aprender a gastar nossa energia nos movendo para frente, mudando nossos pensamentos pra mudar nossa realidade. Nossos pensamentos são os fabricantes dos nossos estados de humor, são os inventores dos nossos sonhos, são os criadores da nossa vontade. É  por isso que temos que analisá-los com cuidado, e optar por responder aqueles que irão nos ajudar a construir a vida que queremos.

É inevitável a situação geral pela qual o Brasil esta passando, a nível politico, econômico, social e pessoal, porém temos que reconhecer que somos responsáveis não só em sermos ativistas e irmos para rua exigirmos nossos direitos, mas principalmente olharmos para nós mesmos e vermos como estamos agindo, como estamos ensinando as nossas crianças certos valores, como estamos vibrando em termos de pensamentos sentimentos, como estão sendo nossas condutas. Se todos alimentam vibrações de raiva, de angustia, de inconformismo, estamos contribuindo para que mais pessoas também sintam o mesmo…

Somos feitos de energia e habitamos um mundo cheio de forças (positivas e negativas) que sabemos que existem, mas que não conseguimos enxergar, como: a eletricidade, a radiação e o eletromagnetismo, por exemplo. E, tal como elas se comportam normalmente na natureza, algumas forças se repelem e outras se atraem. Por isso que quando estamos com uma pessoa que vibra na mesma frequência que nós, nos sentimos bem e o exato contrário também acontece.

Movida por essa vibração geral que todos nós estávamos sentindo, sugeri nas aulas da semana passada um exercício, uma dieta mental, que gostaria de compartilhar com vocês:

DIETA MENTAL: Convido a todos a passarem uma semana pensando positivamente. Corte imediatamente, sempre que se der conta, cada pensamento de egoísmo, aflição, preocupação, fracasso, pessimismo, ciúmes, inveja, angustia, raiva, nervosismo, depressão…e substitua-os por pensamentos de amor, bondade, otimismo, certeza, sucesso, felicidade, confiança, esperança. No final de uma semana o habito de pensar positivamente começará a se firmar. Praticando sua nova mentalidade irá se adaptar quase automaticamente a um novo tipo de vida. Reserve uma semana toda para criar novos tipos de pensamentos. Fique bem atento e sob nenhum pretexto permita que sua mente alimente um pensamento que não seja construtivo e otimista.

Não importam os pensamentos que lhe ocorrem, só os que você alimentar, é claro que muitos pensamentos negativos lhe ocorrerão durante o dia. Observe-os. Caso ocorra um lapso, diga mentalmente, CANCELADO e deixe de alimentar aquele pensamento.

Lembre-se: Nada que alguém possa dizer ou fazer pode afastá-lo da dieta, apenas a sua reação a conduta dessa pessoa poderá faze-lo.
A dieta consistira em sete dias de disciplina mental ininterrupta, a fim de encaminhar sua mente, definitivamente, numa nova direção. Uma vez iniciada, leve-a ate o fim!

Boa pratica!!
NAMASTE


%d blogueiros gostam disto: